Desde o lançamento do primeiro filme do Meu Malvado Favorito em 2010, as meninas têm sido parte fundamental do enredo. No primeiro filme, conhecemos Margo, Edith e Agnes, as três irmãs adotivas de Gru que acolhem o vilão relutante em sua casa. Embora inicialmente elas não aceitem Gru ser o seu novo pai, com o tempo, elas acabam se apegando a ele e o ajudando em sua missão de roubar a Lua.

O desenvolvimento de Margo, Edith e Agnes como personagens é muito importante, pois elas mostram que não são apenas uma fonte de comédia, mas também têm seus próprios desejos e ambições. Margo, a mais velha, é a responsável e preocupada com sua imagem perante o mundo. Edith, a do meio, é a questionadora e desafiadora que se recusa a ser vista como uma menina fofinha e indefesa. E Agnes, a pequena, é a sonhadora que busca encontrar seu unicórnio de pelúcia.

Nos filmes subsequentes, conhecemos novos personagens femininos, como Lucy Wilde, uma agente secreta da Liga Anti-Vilões que se une a Gru em sua missão de impedir o vilão El Macho em Meu Malvado Favorito 2. Lucy é uma personagem forte e independente que inicialmente tem dificuldades em trabalhar com Gru, mas aos poucos desenvolve uma relação de confiança e amizade com ele.

Em Meu Malvado Favorito 3, as meninas estão um pouco mais velhas e enfrentando novos desafios. Margo está se apaixonando por um garoto mais velho, Edith está descobrindo sua paixão por artes marciais e Agnes está procurando por seu verdadeiro propósito na vida. Neste filme, conhecemos também a nova vilã Balthazar Bratt, que é uma ex-estrela mirim dos anos 80 e que usa sua fama e talento para realizar crimes.

Uma característica importante de todas essas personagens femininas é sua capacidade de enfrentar desafios e superar expectativas. Elas não são apenas coadjuvantes nas histórias, mas têm suas próprias motivações e objetivos. Isso mostra que as mulheres também têm lugar de destaque não apenas na animação infantil, mas em qualquer área.

Em conclusão, as meninas de Meu Malvado Favorito são personagens importantes e valorizadas nas histórias. O desenvolvimento dessas personagens mostra que a animação infantil também pode ser uma fonte de empoderamento feminino. Eles oferecem modelos de personagens femininas fortes e independentes que enfrentam desafios e realizam seus próprios sonhos.